Abril inicia reestruturação mas nega recuperação judicial

Buscar

Mídia

Publicidade

Abril inicia reestruturação mas nega recuperação judicial

Arnaldo Figueiredo Tibyriçá, presidente do grupo, afirma que os cortes são parte do movimento de redesenho de estruturas e processos

Luiz Gustavo Pacete
14 de dezembro de 2017 - 14h36

Logo após a notícia de que Patrícia Weiss, então diretora da área de branded content da Abril, deixou a empresa,  nesta quinta-feira, 14, Arnaldo Figueiredo Tibyriçá, CEO do Grupo Abril, afirmou, em nota, que, de fato, foi iniciada uma reestruturação que resultou no desligamento de alguns colaboradores. A empresa não confirmou o número de funcionários demitidos e nem quantos serão desligados até fevereiro, como alguns sites chegaram a cogitar.

“Esse movimento viabilizou um redesenho de estrutura e processos. Nosso objetivo com isso é lidar com um legado estrutural dos tempos em que tínhamos um portfólio de negócios mais diversificado e, ao mesmo tempo, ajustar a estrutura para alavancar nossos negócios atuais. É um movimento voltado para a eficiência e rentabilidade por meio da redução e simplificação da nossa estrutura”, diz a nota enviada por Tibyriçá ao Meio & Mensagem.

Sobre boatos relacionados a uma possível recuperação judicial do grupo, Tibyriçá afirmou que isso não procede. “Garanto que isso não faz parte da minha missão porque a superação de nossos desafios não requer medidas desse tipo. Profissionalmente, apesar da minha formação jurídica, eu não tenho nenhum interesse em participar de um cenário desses. Aceitei o desafio de ser presidente da Abril para gerar valor e lidar com desafios de negócios. Alimentar boatos equivocados como esse indica apenas um desconhecimento sobre nossos negócios. ”

Em entrevista ao Meio & Mensagem, em novembro, assim que assumiu a direção do grupo, Tibyriçá afirmou que a empresa tem espaço e necessidade para reduzir custos. “O que aconteceu com a Abril é que existe uma consciência do que éramos e da estrutura que demandávamos e do que somos agora. E quando você se depara com novas realidades, precisa fazer ajustes constantes em sua estrutura. Precisamos fazer mais com menos, ser mais eficientes e deixar para trás uma realidade que não usamos mais”, disse.

Publicidade

Compartilhe

  • Temas

  • abril

  • Arnaldo Figueiredo Tibyriçá

  • negocios

  • reestruturacao

Comente

“Meio & Mensagem informa que não modera e tampouco apaga comentários, seja no site ou nos perfis de redes sociais. No site, quando o usuário ler a indicação Este comentário foi apagado’ significa que o próprio comentarista deletou o comentário postado. Não faz parte da política de M&M gerenciar comentários, seja para interagir, moderar ou apagar eventuais postagens do leitor. Exceções serão aplicadas a comentários que contenham palavrões e ofensas pessoais. O conteúdo de cada comentário é de única e exclusiva responsabilidade civil e penal do cadastrado.”